Pesquisar este blog

Família: A Melhor Ferramenta Contra os Vicios


mãos dadas, matrimonio
Neste mundo cheio de tentações, as crianças e jovens em sua grande maioria são propensos a cair em qualquer tipo de vício. No México, as drogas e o alcoolismo, são os principais fatores de perigo que atormentam a sociedade, por isso é importante que sejamos conscientes de que a prevenção oportuna pode evitar muitas complicações e problemas, a partir do lar.                                                                                       
“Dado o incremento do consumo de álcool, tabaco e outras substâncias viciadoras por menores, se estabeleceram vários programas preventivos que são implementados nas escolas e através dos meios de comunicação, porém especialistas asseguram que a prevenção mais importante provém da família.”
De acordo com a psicóloga Jacqueline Broc, especialista em Terapia familiar e psicoterapeuta no Centro de Apoio Familiar Somos tu familia, a pesar de muitos conhecerem o perigo das drogas e suas detonantes substancias viciadoras, poucos sabem o que são exatamente e quais existem no mercado.
“Para prevenir que seus filhos caiam no consumo e no vício é necessário que se fale disso. A droga, é uma substancia que ao ser introduzida no organismo, modifica algumas de suas funções, estas mudanças incluem alterações no comportamento, emoções, sensações e modificam o pensamento…”.
A  especialista assegurou que as causas que propiciam o consumo de drogas obedecem a diversos fatores, como a crença de que “as drogas não fazem mal”, a pressão dos amigos, curiosidade ou necessidade de acalmar a angustia ou a dor.
Cabe destacar que a última estatística sobre vícios, realizada no México, foi em 2008, a qual mostra que apesar dos esforços feitos para combater os cartazes da droga, o consumo desta vem aumentando sem medida alguma.
Os dados da pesquisa, indicam que a maioria das pessoas tem seu primeiro contato com as drogas na adolescência já que esta etapa  da vida é marcada pelas mudanças físicas e emocionais, e por isso o jovem está em busca de reafirmar sua identidade, de conhecer novas sensações e pertencer a um grupo.
Por outro lado, a Fundación Manantiales recomenda algumas pautas úteis para a prevenção a partir  do núcleo familiar, as quais assinalam a importância dos princípios, normas e regras do lar que se tem comunicado verbal ou não verbalmente (através de atitudes) aos filhos. Em seguida algumas técnicas:
* Fale acerca de porque são importantes certos valores como a honestidade, a confiança em si mesmo e a responsabilidade, e a forma em que os valores ajudam as personas a tomarem decisões acertadas. Ensine aos seus filhos que cada decisão se baseia em decisões anteriores e que uma decisão acertada facilita à seguinte.
* Reconheçamos que as ações dos pais afetam ao desenvolvimento dos valores de seus filhos, ou seja, os jovens imitam o comportamento de seus pais. Por exemplo: quando os pais fumam é mais provável que os filhos também sejam fumantes. Avalie seu próprio uso do cigarro, do álcool, dos medicamentos receitados e das drogas de venda livre.
* Cuide para que seus atos coincidam com suas palavras.
* Reconheça quando se equivoca. Fica clara a responsabilidade como pais para estabelecer normas para protegê-los e que remetam a seu bem estar, ainda que muitas vezes eles não entendam o porquê. No entanto, o estabelecimento de normas é somente a metade da tarefa; se deve estar preparados também para impor castigos quando as normas não forem cumpridas.
* Seja específico. Diga a seu filho quais são as normas e que comportamento se espera. Converse com ele sobre as consequências da falta de cumprimento das normas: quais serão os castigos, de que forma se aplicarão, quanto tempo representam e qual é o propósito do castigo.
* Seja razoável. Não agregue novas consequências que não tenham sido acordadas. Evite ameaças irreais como: “Teu pai vai te matar quando chegar em casa”, pelo contrário, reaja com calma e aplique o castigo que seu filho espera receber.
* Seja firme, respeite sua palavra.
* Recorde que os castigos tem o propósito de servir como aprendizagem. Um limite deve sempre ter um porquê, que deve ser explicado a seu filho e este porquê deve remeter a seu próprio bem estar. Os castigos não devem ser físicos senão perdas de privilégios. Perderá privilégios maiores quanto maior for a norma transgredida.
* Exerça a autoridade de pai com amor. Não se apegue ao grupo de amigos “rejuvenescendo-se” e sendo um amigo a mais.
* Comunique-se com seu filho. Saiba escutá-lo, dê tempo a ele para conversar, desligue a televisão no horário das refeições e quando conversam.
* Seja sempre generoso com os elogios. Use a conotação positiva, si nosso filho tem o cabelo descuidado e longo é melhor dizer-lhe “seu cabelo ficaria tão bom curto” em lugar de dizer “seu cabelo está péssimo longo”.
* Os jovens necessitam de pais com firmes convicções, que não sejam despóticos nem injustos, que possam reconhecer seus erros e aprender com eles. Comunicar-se com seu filho é de vital importância, uma família que se comunica é uma família sarada.
* Como expressa a psicóloga Broc, ainda que a reabilitação seja a melhor opção contra os vícios, o caminho deveria ser a prevenção, a qual começa desde a concepção do filho, já que o amor, o cuidado e as boas relações em família permitem à criança ter uma estrutura psíquica bem consolidada, com capacidade de tomar decisões responsáveis e um projeto de vida que o protegerá contra os vícios.
Especialista:
Jacqueline Broc,
  • Licenciada em psicologia
  • Mestre em terapia familiar e de casal.
  • Psicoterapeuta no Centro de Apoio Familiar “Somos tu Familia”.
Retirado do blog: Anajure

Nenhum comentário:

Postar um comentário